sábado, 30 de outubro de 2010

Assim sendo...

Não quero o vazio das palavras,
Não quero a miudeza dos gestos,
Não quero a sordidez dos sorrisos vãos.
Sem ti, nada tem sentido.
Nem o dia após a noite,
Nem a dor depois fim.
Nada que valha dizer. 
Sem ti não há...
Uma parte de mim.

domingo, 17 de outubro de 2010

Clarice Lispector

...Estou procurando, estou procurando. 
Estou tentando me entender. 
Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, 
mas não quero ficar com o que vivi. 
Não sei o que fazer do que vivi, 
tenho medo dessa desorganização profunda.


segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Pequenina

Este poema surgiu enquanto espera Lud nascer.
Foi tão inspirador que o pai (compositor de mão cheia!) criou o arranjo musical e ele virou uma bela canção. 



Vento sopra meus sonhos, enfim te encontrei
tão pequena doce criança
tão silenciosa esperança te achei

em meu canto suave te acalentei
tão inesperada surpresa
tão desesperada enfim te busquei

penso em teu jeito suave
desconhecida vives em mim
tão livre, serena, tão pequena
te amei, te amei

Espero enfim tua chegada
ansiosa e as vezes eterna
tão esperada menina brotou


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Uma prece

Que Ela ilumine o caminho aos teus pés, 
e deixe cair o véu de teus olhos. 
Que faça soprar o vento em tuas costas.
Que Ela te guie na escuridão...


Caminhos

Todo caminho pode ser belo,
todo caminho  pode ser insano.
Todo caminho pode ser eterno,
ou... pode ser leviano.
O meu caminho é mistério,
é lua e solidão.
É o caminho do amor,
perdido na imensidão...
Meu caminho é espera,
em noites de sono leve.
Um caminho que se revela,
e se esconde num sonho breve.

Solidão

A solidão enche meus olhos,
Amansa meu coração teimoso.
Deixando um rastro no caminho,
E um vazio doloroso.
Queria ver além das lágrimas,
Além do nevoeiro espesso.
Fazer da minha vida uma ponte,
Entre o passado e o futuro que nem conheço.
E deixar você partir, ir-se finalmente,
abandonar à própria sorte o amor.
E assim ser feliz livremente...